sexta-feira, 21 de julho de 2017

Força Presidente! Rápidas melhoras, que continua a ser muito importante para nós e o FC Porto precisa de si em forma!


Logo pela manhã desta sexta-feira, ao ligar o computador para acesso a páginas de interesse noticioso, atual meio de nos mantermos melhor informados, saltou de imediato à atenção uma notícia sobre surpreendente internamento hospitalar do Presidente do FC Porto Jorge Nuno Pinto da Costa. Deparando-se então diante dos olhos que “ Pinto da Costa sofreu uma queda na madrugada desta sexta-feira e teve de ser encaminhado para o Hospital S. João, onde ficou internado, no Porto. O presidente dos dragões deu entrada na unidade hospitalar com três costelas partidas.” Acrescentando a notícia que “O FC Porto emitiu um comunicado em que garante que Pinto da Costa "está a recuperar bem e deverá ter alta em breve".

Ora, depois disso, nas redes sociais, como de costume, sucederam-se mensagens de apoio ao Presidente, por parte de muitos apoiantes portistas que, como é sabido, são maioritários na rede do facebook (o que até demonstra que o mito dos milhões de lampiões não passa de grãos de areia que sempre houve para atirar aos olhos de certas franjas públicas de "candeeiros"). Ao mesmo tempo que alguns adeptos contra o Porto apareceram com ditotes infelizes, na também já habitual mostra de que desdenham porque gostariam de ter, mas não têm, assim alguém no clube deles…  

Por não ser novidade surgirem momentos em que Pinto da Costa passa por dificuldades físicas, como tanta gente afinal, o caso nem seria de grande monta, não fosse o panorama de imediato levantado por certos quadrantes. Ficando nós a desejar um bom restabelecimento, confiantes na pujança desse Pinto da Costa que nos habituamos a ver forte diante de tudo e sobretudo no que tem feito à frente do FC Porto, desde já a esperar que depressa recupere e volte a marcar presença no comando dos destinos do FC Porto.


Enquanto isso, na certeza que Pinto da Costa depressa estará também e de novo fisicamente no ambiente portista, deixamos aqui algumas imagens de homenagem, apenas como tal. Sem repetições nem atualizações, vasculhando nos arcanos da memória alguns clichés fotográficos de seu passado como dirigente – quer como seccionista a marcar presença em atos da vida do clube, primeiro entre membros diretivos no hastear da bandeira diante da antiga sede, em dia festivo, bem como membro da antiga Assembleia Delegada e, depois, como diretor de modalidades a representar o clube na entrega de trofeus que o clube recebeu da Associação de Patinagem do Porto, na sua colaboração ao tempo do Presidente Afonso Pinto de Magalhães, entre exemplos de seu percurso diretivo. Porque Jorge Nuno Pinto da Costa tem uma longa vida dedicada ao serviço do FC Porto, antes e depois de ter assumido a presidência portista e irá continuar a ter.

- Saúde, Presidente!

Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

quinta-feira, 20 de julho de 2017

“Memória Portista” alvo de referência apreciável em “Dragões Diário”


Diante da realidade atual da globalidade informática, agora tudo é mais amplo no mundo da divulgação e do conhecimento, no caso das redes de contactos com contornos de afinidades e informação extensiva. Enquanto noutros tempos, para sabermos qualquer coisa do nosso clube desportivo afetivo, por exemplo, no ambiente distante dos meios de comunicação social do império, falando como quem vive no interior nortenho do país, tínhamos de esperar pela chegada d’ “O Norte Desportivo” duas vezes por semana e do jornal “O Porto” uma vez a cada oito dias, quando chegava pelo correio a tempo, senão seria lido muito depois da passagem do fim de semana. Ao passo que os desportivos de Lisboa quase nem davam espaço a coisas do FC Porto, em contraste a loisas de tudo que fosse doutros... Havendo atualmente muito mais possibilidades de acompanhamento da vida portista. Tanto que agora, até, para quem, depois, em tempos ainda conseguiu fazer outros lerem algumas opiniões pessoais também no antigo órgão jornalístico portista (embora pouco tempo, até à época dos acontecimentos do verão quente das Antas, por então o autor destas linhas não ter estado de acordo com o afastamento de Pinto da Costa e não ter podido aí dar uma natural modesta opinião em defesa dos interesses do clube…), tudo se transforma com o enquadramento presente, conseguindo nos dias que correm fazer qualquer coisa em prol do FC Porto através de escrita publicada em forma personalizada, por via de blogue pessoal de temática memoranda portista.

Assim sendo, apraz registar que hoje, dia 20 de julho de 2017, em "Dragões Diário", no capítulo "Aconteceu." dessa importante missiva informática de transmissão clubista, deparamos com uma agradável surpresa do nosso blogue “Memória Portista” merecer “interessante” alusão (com o nome do acesso electrónico Memória Porto), vendo que no clube há atenção também para tal Memória Portista, algo que registamos e cuja referência agradecemos - conf. in 


((( Clicar no link, para acesso ao conteúdo respetivo)))

Armando Pinto

sábado, 15 de julho de 2017

Justiça tardou mas chegou: F. C. Porto e Pinto da Costa absolvidos no processo "Apito Final". Conselho de Justiça devolve seis pontos da época de 2007/2008 ao FC Porto em 2017.


Efetivamente, assim é. Justiça tardia mas que repõe a verdade: Dada razão ao FC Porto e ao Presidente Pinto da Costa. Foi preciso passar 9 anos, anos e não meses, para sair esse veredito… embora, como diz o ditado de que mais vale tarde que nunca, chega finalmente tal reposição. Mas agora, os corruptos que estiveram por trás disso tudo e sobretudo o tal advogado feito à pressa e os juízes de costela benfiquista vão ficar impunes? Mais uma acha para a fogueira da corrupção recentemente vinda a público com o conhecimento dos e-mails que, agora, já há quem queira apagar… tarde de mais!!!

Ora, como vem na edição deste sábado do JN, dia 15 de julho, «O Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol decidiu absolver Pinto da Costa e o F. C. Porto no processo "Apito Final".
A SAD portista e o dirigente tinham sido considerados culpados de "corrupção da equipa de arbitragem na forma tentada" pela Comissão Disciplinar da Liga, em 2008 e foram agora ilibados, segundo um acórdão datado de 5 de julho, a que o JN teve acesso


Acrescentando o jornal O Jogo: «Recurso apresentado por Pinto da Costa teve provimento e a SAD beneficia dele: foi anulada a decisão de retirar pontos à equipa no campeonato de 2007/08.
O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) deu razão a Pinto da Costa no recurso apresentado ao castigo de dois anos de suspensão e multa de dez mil euros aplicados em 2008, no âmbito do processo Apito Final. A decisão, de 7 de julho deste ano, a que O JOGO teve acesso, baseia-se na ilegalidade da utilização das escutas telefónicas e na falta de credibilidade atribuída aos testemunhos de Carolina Salgado. Pinto da Costa vê assim a pena - que já cumpriu - anulada e a SAD portista, que fora castigada com a perda de seis pontos e uma multa de 150 mil euros, também beneficia, uma vez que "o recurso interposto de uma sentença abrange toda a decisão".»

Com efeito, volvidos todos estes anos, o FC Porto volta a ter mais 6 pontos oficiais no campeonato terminado em 2008, obrigando a ficar desatualizados os dados em publicações referentes desse campeonato em que o FC Porto conquistou em campo muito justamente o título nacional correspondente. Na altura esses pontos não fizeram falta porque o FC Porto ganhou o campeonato com larga superioridade na pontuação. Mas se fizesse? E se tivesse ido avante a proposta do Benfica à UEFA para retirar o FC Porto das competições na temporada que se seguiu e por vontade do então maioral do futebol europeu esteve quase para acontecer…? Com que cabeça agora fica mais uma vez esse tal Platini…?


Passados nove anos… e passados estes dias todos, também é que isto se sabe, por meio do Jornal de Notícias, do Expresso e d´O Jogo, já que entretanto ainda não viera a público e os jornais afetos ao clube do regime ainda não mostram…

Enquanto isso, há largos anos, entretanto, Pinto da Costa já fora ilibado de tudo e de todas as acusações no processo chamado "Apito Dourado", por mais que tenha havido invenções de histórias em livros escritos por pessoas quase analfabetas e filmes feitos por artistas que não tinham jeito para mais nada (alguns dos quais já devem estar a pagar tais pecados noutro mundo). Até que agora, no presente, mais um processo chega ao fim, por muito que custe aos verdadeiros corruptos ...

De permeio e para já fica a dúvida de como ficará a folha de todos os envolvidos. Sendo pertinente perguntar: - Será que alguma vez haverá verdadeira justiça no futebol português? Ou o crime irá sempre compensar ?

~~ * ~~

Em "Dragões Diário" é feito um atualizado ponto da situação:

«Está reposta a verdade desportiva. Em dezembro do ano passado, transitou em julgado a decisão do Tribunal Administrativo de Lisboa que, em maio de 2011, considerou inexistente o acórdão do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (CJ da FPF), de 4 de julho de 2008, que negava provimento a um recurso interposto por Jorge Nuno Pinto da Costa relativo às decisões do processo ‘Apito Final’. Recorde-se que a ‘reunião’ desse órgão foi realizada à revelia de quem teria o dever de a presidir e, à data, teve como uma das consequências a confirmação das decisões da Comissão Disciplinar da Liga que determinavam a retirada de seis pontos ao FC Porto (descontados na tabela classificativa de 2007/08) e uma suspensão de dois anos do seu Presidente, para além de outras sanções pecuniárias. Na sequência do trânsito em julgado da decisão que considerava inexistente o acórdão de 2008 por motivos administrativos, o atual CJ da FPF entendeu que continuava por julgar a matéria de facto que justificava aquela reunião, ou seja, o recurso apresentado por Pinto da Costa. Fê-lo ao longo dos últimos meses, e acabou por dar como não provadas as acusações de corrupção desportiva no jogo Beira-Mar-FC Porto de 2003/04. Como consequência, foram anuladas todas as sanções aplicadas quer ao FC Porto – que recupera os seis pontos que lhe foram indevidamente retirados na classificação de 2007/08 –, quer ao seu Presidente.


Razão ao retardador
Quando, em maio de 2008, o FC Porto anunciou que não recorreria da pena de perda de seis pontos imposta pela Comissão Disciplinar da Liga, poucos compreenderam essa decisão. Na altura, a SAD considerou que seria preferível que essa subtração tivesse impacto numa época em que o clube foi campeão com 20 pontos de vantagem do que arriscar, em sede de recurso, nova decisão injusta que incidisse na classificação das temporadas seguintes. Para além disso, entendia-se que o recurso apresentado por Pinto da Costa, versando a mesma matéria de facto, implicaria necessariamente o clube. Nove anos depois, isso confirma-se: a absolvição do Presidente teve como consequência a absolvição do FC Porto.

Mais um furo na credibilidade
A justiça tarda, mas por vezes chega mesmo. A decisão que hoje conhecemos é uma derrota para todos os pseudo-justiceiros que, à margem da legalidade, mas sobretudo da decência, procuraram denegrir a imagem do FC Porto e de todos os que o servem, colocando em causa o mérito desportivo da única equipa que, ao longo dos últimos 50 anos, teve capacidade para prestigiar o futebol português através da conquista de títulos internacionais. Entre essas figuras, é impossível não destacar Ricardo Costa, popularmente conhecido como ‘o benfiquista de Canelas’, que vê, uma vez mais, a sua sanha justiceira tornar-se improcedente e inconsequente. Este acórdão do CJ da FPF desfere um golpe certeiro e decisivo na fundamentação jurídica que artificialmente construiu para tornar o seu exercício de funções na Comissão Disciplinar da Liga uma extensão do seu fanatismo clubístico.


Para estar atento
Álvaro Baptista era um dos elementos do CJ da FPF que, perante a ausência do seu presidente e de outro dos seus membros, decidiu prosseguir uma ‘reunião’ onde seriam tomadas decisões muitíssimo relevantes sobre o futebol português, num ato que viria a ser confirmado pelos tribunais como uma aberração administrativa. Foi, mesmo, o 'pseudo-presidente' e porta-voz desse órgão que, já de madrugada, anunciou as suas deliberações à comunicação social. Atualmente, integra o Conselho de Disciplina da FPF, como vice-presidente de José Manuel Meirim para o futebol não profissional. Para além disso, é deputado do PSD, e foi um dos autores da proposta que tinha como objetivo o esvaziamento de poderes da Liga (nomeadamente no que toca à elaboração de regulamentos de disciplina e de arbitragem) e a sua transferência para a FPF – um caso flagrante de conflito de interesses. Álvaro Baptista parece ser uma daquelas personagens que, à sombra da ausência de qualquer notoriedade pública, se vão mexendo aqui e ali e influenciando a tomada de medidas que se podem revelar estruturais para o futebol português. É, sem dúvida, uma figura a seguir.

Para felicitar (I)
A justiça desportiva, com alguns anos de atraso em relação à justiça civil, acabou por confirmar aquilo que qualquer adepto de futebol em plena posse das suas faculdades intelectuais já sabia: a equipa do FC Porto que se sagrou campeã europeia em 2003/04 não precisava de ajudas externas e ilegítimas para empatar em casa do último classificado da Liga (sim, porque convém nunca esquecer que o que estava em causa nestes processos era a suposta corrupção da equipa de arbitragem que dirigiu um confronto entre primeiro e último classificados do campeonato que até terminou empatado a zero). Por mais este reconhecimento da valia desportiva da equipa que dirigiu, não há nada mais justo do que felicitar José Mourinho.

Para felicitar (II)

Jesualdo Ferreira teve o mérito de liderar o grupo do FC Porto que, em 2007/08, se tornou o campeão com a maior vantagem sobre o segundo classificado da história da Liga portuguesa: 20 pontos (mais tarde, André Villas-Boas bateria esse recorde por um ponto). Durante quase dez anos, essa supremacia conquistada no campo, na luta contra os adversários e contra quem sempre tentou prejudicar o FC Porto, foi formalmente reduzida a 14 pontos. A decisão do CJ da FPF repõe a verdade desportiva, e por isso felicitamos o ‘mister’ Jesualdo. Não por ter ganho, agora, seis pontos – porque esses disputou-os e venceu-os nos relvados –, mas por, finalmente, lhe ser devolvido aquilo que lhe foi roubado, honrando o mérito de uma das melhores equipas da história do futebol português.»

Armando Pinto

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Américo Amorim: Um Portista que deu contributo importante à construção do estádio do Dragão


Faleceu Américo Ferreira Amorim, personalidade que dispensa apresentações, como empresário distinto, a pontos de ter alcançado reconhecimento e estatuto de detentor da maior fortuna de Portugal. Bem como, sobretudo, por ser um portista conhecido, que há muito despertou a atenção do autor destas linhas pelo seu próprio nome, atendendo a ter o mesmo nome do grande guarda-redes Américo, nome importante do FC Porto, curiosamente sendo ambos naturais do mesmo concelho da Feira e oriundos de freguesias próximas – ele de Mozelos e o “Américo do Porto” nascido em Santa Maria de Lamas, residindo atualmente em S. Paio de Oleiros, tudo ali na região onde se faz sentir o nome das empresas do Grupo Amorim.


Acresce ainda, dentro dessa posição, que a admiração pelo senhor Américo Amorim ganhou maior relevância por ele ter tido interferência diretamente importante na construção do estádio do Dragão, ao ter possibilitado essa realidade com sua visão empresarial e também afetiva, na resolução do caso. Além de ter sido acionista do clube, sendo (como consta do livro “FC Porto figuras & factos 1893-2005“) «o grupo económico  a que preside (presidia) é acionista de referência na Futebol Clube do Porto, Futebol SAD, com representação no Conselho de Administração. (Era) Membro do Conselho Consultivo da SAD. Foi galardoado, em 2001, com o “Dragão de Honra”.»

Não mais esquece que, aquando do caso da oposição do então presidente da Câmara Rui Rio à edificação do estádio do Dragão, Américo Amorim desbloqueou a situação à sua maneira incisiva, com a resolução possibilitada do chamado PPA - Plano de Pormenor das Antas – como se pode rever através duma página dum dos livros da coleção “Dragão Ano 111”, editado pelo antigo jornal O Comércio do Porto.


Desnecessário será aqui alinhavar em frases pessoais algo mais sobre seu currículo, por quanto está explanado em livros e especialmente por estes dias na comunicação social. Juntando, como simples ilustração, uma pequena entrada que consta na Nova Enciclopédia Portuguesa, apêndice, edição Ediclube.


A isso apenas acrescentamos ser um dos homens que ficarão na memória de muita gente, pelo muito que realizou, segundo o que se ouve e lê. Tratando-se dum personagem da vida nacional que, apesar de não conhecermos pessoalmente, admiramos pela obra que o tornou conhecido.

É um dos portistas feirenses homenageados no livro "Santa Maria da Feira: Uma Terra de Dragões", da autoria do historiador Roberto Carlos Reis, também portista da Feira.

Nascido em Mozelos, concelho da Vila da Feira, atualmente Santa Maria da Feira, ao correr de 1934,. a 21 de julho, Américo Amorim faleceu a 13 deste mês de julho de 2017. Que sua alma descanse em Paz.

Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

Alteração da data da (re)abertura da Casa do FC Porto de Felgueiras


COMUNICADO.

A direcção da Casa do Futebol Clube do Porto de Felgueiras vem por este meio comunicar e informar todos os sócios e simpatizantes desta Instituição que a abertura pública das suas instalações não se consumará no próximo dia 15 do corrente mês de Julho, ao contrário do publicitado no Semanário de Felgueiras, uma vez que, por imprevistos alheios à direcção e intimamente relacionados com o facto de todas as obras de preparação da Casa ainda não se encontrarem totalmente concluídas. Assim, e pelo facto da direcção ter como seu princípio basilar garantir a todos os seus sócios e simpatizantes o máximo de conforto possível desde do momento da abertura das suas instalações a data de abertura publicitada e supra mencionada sofrerá um adiamento, sendo que a direcção assume o compromisso de o mais brevemente quanto possível anunciar a respectiva data de abertura, de modo a que todos os Portista e simpatizantes do Desporto possam glorificar-nos com a sua visita.

Sem mais assuntos a comunicar a Direcção da Casa do Futebol Clube do Porto de Felgueiras subscreve este comunicado assumindo junto de toda a comunidade Felgueirense a promessa de brevemente ratificar novo comunicado com respectiva data de abertura.

Atenciosamente e com os Mais Respeitosos
Cumprimentos,

A Direcção

terça-feira, 11 de julho de 2017

Notícia jornalística da reabertura e revitalização da Casa do FC Porto de Felgueiras


Da agradável novidade de que vai abrir já no próximo dia 15 do corrente mês de julho, em reabertura e revitalização, a Casa do FC Porto de Felgueiras, deu conta o jornal Semanário de Felgueiras, na respetiva edição da sexta-feira dia 7, através de coluna inserta numa das suas páginas sobre Desporto – como se reproduz aqui, por meio de recorte da notícia correspondente.

Armando Pinto
((( Clicar sobre a imagem, para ampliar )))

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Amaro Antunes, do W52-FC Porto-Mestre da Cor, vencedor do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras / Troféu Joaquim Agostinho


Amaro Antunes é o brilhande triunfador do Grande Prémio de Torres Vedras/Troféu Joaquim Agostinho. Prova em que o ciclista do FC Porto desde início andou sempre nos primeiros lugares, além de ter vencido a segunda etapa, no alto de Montejunto, e por fim ter vestido de amarelo na penúltima etapa, acabando por vencer categoricamente no final ao classificar-se em 1º da Geral Individual, após chegar em 3° na última tirada. Em mais uma boa atuação de toda a equipa azul e branca, com destaque para o facto de dois outros ciclistas portistas terem estado em evidência, tendo Gustavo César Veloso sido 2º no Prólogo e Samuel Caldeira também 2º na chegada ao sprint da 2ª etapa em Arruda dos Vinhos.


Conseguiu o ciclismo portista assim inscrever o nome de um ciclista do FC Porto na lista dos vencedores individuais e o clube na classificação coletiva, em tão prestigiada corrida por etapas, perante boa prestação de que resultou a vitória portista também por equipas, neste Grande Prémio Internacional cuja existência, ao longo das sucessivas edições, se desenrolou praticamente durante o período em que anteriormente o clube Dragão esteve ausente das corridas de bicicletas. Juntando então mais uma competição com vitórias portistas ao currículo grandioso que o ciclismo do FC Porto ostenta no historial das corridas de nível superior. E, ainda, proporcionou mais outra grande alegria aos apoiantes portistas, incluindo alguém que assim teve outra prenda, atendendo a que esta prova decorreu dentro do período dum certo aniversário natalício…


Assim sendo, o ciclista azul e branco Amaro Antunes ganhou o Troféu Joaquim Agostinho, triunfando no clássico Grande Prémio de Torres Vedras, terminado na ligação da etapa final entre S. Martinho do Porto e o alto da Carvoeira, que coroou o camisola amarela Amaro Antunes da W52-FC Porto, como grande vencedor do Grande Prémio que homenageia o famoso antigo ciclista leonino Agostinho, e competição que antecede a Volta a Portugal.

Amaro Antunes terminou a corrida no topo da geral individual, com 15 segundos de vantagem sobre Rinaldo Nocentini, do Sporting-Tavira, e com 18 segundos face a Frederico Figueiredo da mesma equipa sportinguista. O algarvio do FC Porto acabou por sobreviver na etapa final, que foi de consagração, já que conseguiu defender-se bem dos ataques da concorrência direta.


No final o vencedor declarou: “Não podíamos prever a corrida que os adversários iam fazer. Nós cumprimos o nosso plano, como previsto antes da etapa, trabalhando para manter a camisola amarela. É um orgulho muito grande conquistar uma corrida com tanta história como o Troféu Joaquim Agostinho”, confessou Amaro Antunes.


O corredor da W52-FC Porto juntou à Geral Individual as classificações por Pontos, da Montanha e do Combinado; enquanto a própria equipa W52-FC Porto-Mestre da Cor triunfou por equipas.


Top 5 da Classificação final da Geral Individual

1.º - Amaro Antunes (W52-FC Porto), 16h 22m 17s
2.º - Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 15s
3.º - Frederico Figueiredo (Sporting-Tavira), a 18s
4.º - João Benta (RP-Boavista), a 40s
5.º - José Neves (Liberty Seguros/Carglass), a 44s


Classificação dos restantes Ciclistas do FC Porto:
19º João Rodrigues +2m 59
24º Gustavo Veloso +4m 00
37º Samuel Caldeira +13m 16
38º Ricardo Mestre +13m 28
40º Raúl Alarcón +14m51
70º Tiago Ferreira +44m 26
87º Ángel Sanchéz +1h 3m 34

Geral da classificação coletiva - Equipas
1º W52 – FC Porto – Mestre da Cor


Geral por Pontos
1º Amaro Antunes

Geral da Montanha
1º Amaro Antunes

Geral da Juventude
3º João Rodrigues

Geral Combinado
1º Amaro Antunes


ARMANDO PINTO
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))