Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Sonho Místico - no 9º Aniversário do Estádio do Dragão


A História é mestra da vida - já na era antiga pretendia Cícero confirmar. E dia a dia temos vindo a verificar tal veracidade, em nossas vidas e no que nos faz a vida ter sentido sublime. 

Calha a preceito um desses casos, hoje e sempre. Quando o Estádio do Dragão perfaz mais um ano desde a inauguração, agora completada que é a bela soma de nove anos, a 16 de Novembro. Uma bonita idade, esta, infante ainda, num ciclo da vida mais atrita aos sonhos, aqueles reflexos dos sentidos que comandam a vida.


Transpondo o limiar da existência e passando a um estado mais ditoso, permita-se uma reflexão: 

Numa conta de nove anos, segundo consta, teve quando criança um sonho profético o venerando Dom Bosco, santo fundador da Ordem Salesiana, cujas relíquias ainda recentemente, em périplo pelo mundo e na passagem por Portugal, tiveram também acolhimento na Invicta cidade do Porto. De cujo “Sonho dos 9 anos”, contado pelo próprio S. João Bosco, a seu tempo, reza assim a história no princípio: 

«Na idade de 9 anos tive um sonho, que me ficou profundamente impresso na mente por toda a vida. Pareceu-me estar perto de casa. Numa área bastante espaçosa onde uma multidão de meninos estava a brincar. Alguns riam, outros divertiam-se, não poucos blasfemavam. Ao ouvir as blasfémias, lancei-me de pronto no meio deles, tentando, com socos e palavras, fazê-los calar. 

Neste momento apareceu um homem venerando, de aspeto varonil, nobremente vestido. Um manto branco cobria-lhe o corpo; seu rosto, porém, era tão luminoso que eu não conseguia fitá-lo. Chamou-me pelo nome e mandou que me pusesse à frente daqueles meninos, acrescentando estas palavras: 

– Não é com pancadas, mas com mansidão e caridade que deverás ganhar esses teus amigos. Põe-te imediatamente a instruí-los sobre a fealdade do pecado e a preciosidade da virtude…» 

Pese as diferenças e a ousadia desta transposição, fica uma mensagem, assim, à consideração. No imaginário que nos transporta até ao nosso local de sonho. Na conta de nove anos desse espaço que temos como nosso, dum culto desportivo, mas sentimentalmente profundo. Um sítio de que gostamos, algo sagrado, também, onde nos sentimos bem – o nosso estádio, batizado com nome do Dragão emblemático do F. C. Porto que tem lugar especial em nossa vida.


N.B.: Porque de outras vezes anteriores, em que evocamos esta efeméride, já tivemos oportunidade de colocar imagens relacionadas com o acontecimento e respetivo enquadramento, desta feita juntamos imagens próprias, da pequena réplica do estádio que temos em nosso espaço doméstico.



= A propósito, nesta oportunidade, recorde-se o que antes escrevemos e publicamos aquando do 8º aniversário do Estádio do Dragão e extensivamente anos antes, igualmente, (clicando) aqui

Armando Pinto

2 comentários:

  1. E já passaram 9 anos. Como o tempo voa...

    Em "apenas" 9 anos, o Estádio do Dragão já teve a felicidade de "ver" a equipa do F.C. Porto ostentar os mais cobiçados troféus da Europa e não só.

    Deixo aqui uma grande saudação para todos aqueles que contribuíram para que o Estádio do Dragão fosse uma realidade que nos enche de um grande orgulho.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Enquanto não há Museu e no 9º aniversário do Estádio do Dragão, uma visita ao Museu do Armando, onde não falta nada.
    Abraço

    ResponderEliminar